Galeria

Tirobhava Mahotsava de Srila Gurudeva

Festival em homenagem ao desaparecimento de nosso amado Srila Gurudeva SRI SRIMAD BHAKTIVEDANTA NARAYANA GOSVAMI MAHARAJA

19 de dezembro de 2011 na Sri Gauravani Gaudiya Matha


Neste ano estaremos honrando o primeiro aniversário do desaparecimento de Śrīla Gurudeva no dia 19 de dezembro de 2011, assim como todos os templos de sua missão ao redor do mundo.

“O que quer que tenhamos aprendido, aprendemos com nosso gurudeva e devemos chorar por ele do fundo do nosso coração.”
Śrī Śrīmad Bhaktivedānta Narāyaṇa Gosvāmī Mahārāja

VIRAHA-BHAJANA
Trechos compilados de palestras de Śrī Śrīmad Bhaktivedānta Narāyaṇa Gosvāmī Mahārāja

A separação faz surgir emoções impressionantes
Śrī Bhagavān é o possuidor de todas as potências e, portanto, Seu relacionamento com Sua potência interna é indestrutível (śakti-śaktimatayor abheda); eles são sempre inseparáveis. A despeito disso, Sua potência de passatempos, a qual torna possível o impossível, manifesta a separação ou saudade (viraha) mesmo quando há encontro eterno. O objetivo é despertar uma variedade inimaginável de rasa (rasa-vaicitrya). Este é um dos estágios sem precedentes de prema.

O primeiro broto da árvore dos desejos de prema, amor puro por Deus, neste mundo foi Śrīla Mādhavendra Purīpāda. Ele cantou um verso extraordinário em seu estado de perfeição.

ayi dīna-dayārdra nātha he
mathurā-nātha kadāvalokyase
hṛdayaṁ tvad-aloka-kātaraṁ
dayita bhrāmyati kiṁ karomy aham

Śrī Caitanya-caritāmṛta (Madhya-lila 4.201)

Ó mestre, cujo coração se derrete devido à compaixão pelos destituídos! ò Senhor de Mathurā! Quando irei vê-Lo novamente? Ó amado Senhor da minha vida, anseio vê-Lo ardentemente, a tal ponto que Meu coração ficou intensamente irrequieto. O que devo fazer agora?

Este verso foi originalmente manifestado por Śrīmatī Rādhikā na agonia de Sua saudade de Śrī Kṛṣṇa quando Ele foi para Mathurā. Assim, Mādhavendra Purīpāda plantou a semente da devoção com o sentimento de amor conjugal. Este śloka é o transbordar do mahā prema (mahābhāva) de Śrīmatī Rādhikā após Kṛṣṇa partir para Mathurā. O bhajana que é realizado seguindo o sentimento de Śrīmatī Rādhikā nesta condição constitui o bhajana mais elevado.

Sentir saudade é essencial para o Sādhaka
Para o praticante de bhakti, é natural fazer bhajana com o sentimento de separação ou saudade de Kṛṣṇa. Os devotos de śṛṅgāra-rasa, considerando-se os mais destituídos, clamam fervorosamente a dīna-dayārdranātha Kṛṣṇa, o Senhor dos destituídos.

Somente três pessoas puderam saborear a essência deste verso: a própria Śrīmatī Rādhikā Herself, Śrīla Mādhavendra Purī e Śrīman Mahāprabhu (que é Kṛṣṇa coberto pelo brilho corpóreo e pelos sentimentos de Śrīmatī Rādhikā). Para manifestar este śloka, Śrīla Mādhavendra Purī, um seguidor eterno de Śrī Rādhā, se imbuiu das emoções de mathurā-virahiṇī Śrī Rādhā.

Śrī Gauracandra afirma,
yugāyitaṁ nimeṣeṇa
cakṣuṣā prāvṛṣāyitam
śūnyāyitaṁ jagat sarvaṁ
govinda-viraheṇa me
Śikṣāṣṭaka (7)
Ó sakhī, em separação de Govinda, mesmo um momento se assemelha a um milênio. As lágrimas estão fluindo de Meus olhos como torrentes de chuva da estação da moção e o mundo inteiro parece estar vazio.

No Vilāpa-kusumāṣjali (102), Śrīla Ragunātha dāsa Gosvāmī afirmou,

āśā bharair amṛta-sindhu-mayaiḥ kathaṣcit
kālo mayātigamitaḥ kila sāmprataṁ hi
tvaṁ cet kṛpāṁ mayi vidhāsyasi naiva kiṁ me
prāṇair vrajena ca varoru bakāriṇāpi
Ó Varoru (garota de belas coxas), passo meus dias me mantendo exclusivamente pela esperança de ser capaz de Lhe servir. Se você contiver a Sua misericórdia, qual será para Mim o valor desta vida, da terra de Vraja ou de Śrī Kṛṣṇa, o inimigo de Baka?

Sem receber a misericórdia de Srīmatī Rādhikā é impossível obter a misericórdia de Śrī Kṛṣṇa. Mas, quando o coração de uma pessoa se torna extremamente irrequieto ansiando pela misericórdia Dela, então a misericórdia de Rādhānātha Śrī Kṛṣṇa se torna facilmente obtível.

Śrī Gurudeva é uma manifestação idêntica de Śrīmatī Vṛṣabhānu-nandinī, a jóia suprema de āśraya-tattva (daqueles que são a morada do amor por Kṛṣṇa). Śrī Gurudeva habilmente adota os meios utilizados pelas sakhīs para servir ao Casal Divino em Seus passatempos transcendentais de amor. Por esta razão, ele é extremamente querido por Śrī Rādhā e Kṛṣṇa. Como alguém receberá a misericórdia de Śrī Kṛṣṇa se não tiver recebidoa misericórdia de um guru deste tipo? Assim, aqueles que se abrigam em śrī guru experimentarão ondas de saudade e separação dele quando ele não mais estiver manifesto e estas ondas crescerão até a sua magnitude máxima.

O apego é intensificado com a saudade
Por compaixão, Śrī Bhagavān, na forma de śrī guru, expande Seus passatempos manifestos. Do mesmo modo, śrī guru encena o passatempo de desaparecer deste mundo para entrar em seus passatempos eternos. Seu único propósito ao fazer isto é estimular ao máximo o serviço e a o sentimento de posse em seus dependentes. Aqueles que são suficientemente afortunados para se abrigar em um rūpānuga-guru durante a sua presença manifesta, experimentam um constante aumento em seu apego em servi-lo. Após o seu desaparecimento, o apego desses dependentes continua aumentar multiplicando-se várias vezes. Conseqüentemente, o fogo da separação ou da saudade que sentem dele cresce diariamente e, somente por isto, o bhajana permanece sempre fresco ou renovado.

Existem dois tipos de bhajana. O primeiro é praticado por cantar e lembrar-se dos passatempos de separação (vipralambha-līlā) e o segundo é praticado por se lembrar dos passatempos de encontro (sambhoga-līlā). Embora as gopīs e os Vrajavāsīs sempre prefiram o encontro com Kṛṣṇa em lugar da separação Dele, Ele brinca com eles fazendo com quele desfrutem de vipralambha-rasa.

O sādhaka deve cultiva o sentimento de separação ou saudade de Kṛṣṇa através do pensamento: “Não estou vendo Kṛṣṇa, não estou vendo Śrīmatī Rādhikā, nem Vraja. Não tenho realização nenhuma e sou incapaz de servir o meu gurudeva.”

A Altura da separação intensa
Raghunātha dāsa Gosvāmī mostra-nos como sentir saudade de Kṛṣṇa e, especialmente, de Śrīmatī Rādhikā. Um sādhaka deve estar imerso nestes sentimentos. Śrīla Raghunātha Gosvāmī também se lamentou devido à saudade de seus śikṣā-gurus, “Sou tão desafortunado! Primeiro Śrī Caitanya Mahāprabhu partiu deste mundo e me deixou para trás. Então vivi na associação constante de Śrī Svarūpa Dāmodara, mas ele também partiu deste mundo. Em seguida, me agarrei aos pés de lótus de Śrī Gadādhara Paṇḍita, mas ele também partiu. Deste ponto em diante passei a experimentar que todos os lugares e todas as partículas de poeira de Jagannātha Purī me fazem lembrar de Śrī Caitanya Mahāprabhu, Svarūpa Dāmodara, Gadādhara Paṇḍita e de seus associados; portanto, saí de Purī e vim para Vṛndāvana.”

Em Vraja, Śrīla Dāsa Gosvāmī realizou bhajana no Rādhā-kuṇḍa sob a orientação de Śrīla Rūpa Gosvami e de Śrīla Sanātana Gosvāmī. Quando Śrīla Rūpa Gosvāmī entrou em seus passatempos imanifestos, Śrīla Dāsa Gosvāmī lamentou-se da seguinte maneira devido à saudade dele:
śūnyāyate mahā-goṣṭhaṁ
girīndro ‘jagarāyate
vyāghra-tuṇḍāyate kuṇḍaṁ
jīvatu rahitasya me
Śrī Prārthanāśraya-caturdaśaka (11)

Agora que estou sem aquela pessoa que sustenta a minha vida, a terra de Vraja parece vazia e desolada, a Colina de Govardhana parece uma grande serpente e o Rādhā-kuṇḍa parece a boca ameaçadora de uma tigresa.

Quem pode realizar o sentimento de saudade do Guru?
Embora nosso gurudeva também tenha entrado em seus passatempos imanifestos e eternos, nós seguimos neste mundo alegremente. Nas ocasiões de dias especiais, como os dias de seu aparecimento e desaparecimento, nós podemos nos lembrar dele, mas freqüentemente estamos ocupados em fazer os preparativos para o festival em homenagem a ele e resta, assim, pouquíssima chance de contemplarmos nossa saudade ou separação dele. Uma lágrima pode brotar em nossos olhos quando falamos alguma coisa sobre ele, mas pode ser que ela não brote. Se o festival for muito elaborado, haverá muita coisa para administrar, tais como: abhiṣeka, guru-pūjā e dsitribuição de mahā-prasādam aos Vaiṣṇavas. Conseqüentemente, há menos chance de encontrarmos tempo de pensar nele e chorar. Na maior parte das vezes, fazemos estes festivais para o benefício das pessoas em geral que não têm uma relação íntima com ele, mas, neste dia, devemos nos assegurar que um sentimento de saudade e separação dele entre em nossos corações. Isto é chamado bhajana.

As pessoas especiais que realizaram a obrigação profunda e a dívida incomensurável que têm em relação com gurudeva por tudo que receberam dele e que, assim, prestam muito serviço a ele com viśrambha-bhāva (intimidade espontânea) sentirão saudade dele e chorarão. Tais devotos não irão pensar: “Sou tão caído e meu gurudeva é tão elevado.” Uma pessoa que tenha tanto respeito e reverência não poderá chorar.

Os śāstras afirmam que “viśrambhena guror sevā – o sevaka realiza um serviço tão íntimo a gurudeva que gurudeva está sempre satisfeito com ele.” O guru não irá vê-lo como um servo ou um discípulo nem por um momento, mas, ao invés disso, irá vê-lo como seu próprio coração. Śrī Īśvara Purīpāda (um discípulo de Śrīla Mādhavendra Purī) e Govinda (um discípulo de Śrī Īśvara Purī) eram servos deste tipo. Apesar de tal tipo de relacionamento com śrī guru ser raro, ele é absolutamente necessário para rāgānuga-bhakti. Em sua ausência, somos incapazes de chorar como Śrīla Raghunātha dāsa Gosvāmī.

Gradações da saudade
Um devoto experimentará diferentes graus de saudade de seu gurudeva de acordo com o seu nível de bhakti. Quando contemplamos a misericórdia que ele nos concedeu e sua superioridade em relação a nós, experimentamos um certo tipo de sentimento. Mas quando nos lembrarmos de nosso relacionamento íntimo com ele e de seu imenso amor por nós, choraremos por ele incessantemente.

Nanda Bābā chora sentindo saudade de Kṛṣṇa, mas Yaśodā Mā pode chorar ainda mais do que Nanda Bābā. As gopīs, entretanto, podem chorar ainda consideravelmente mais do que Yaśodā. Isto é porque elas têm um relacionamento mais íntimo com Kṛṣṇa. Devemos ter tal tipo de relacionamento íntimo com nosso gurudeva, Śrī Kṛṣṇa, Śrīmatī Rādhikā, Śrī Rūpa Maṣjarī, Śrīla Rūpa Gosvāmī e outras personalidades deste tipo. Somente então que seremos capazes de chorar pela misericórdia deles. Sem esta relação íntima de serviço ao gurudeva, não há possibilidade de imaginarmos nosso relacionamento com Śrī Rūpa Maṣjarī ou com Śrīmatī Rādhikā e Kṛṣṇa.

Nosso avanço é unicmente dependente da intesidade de nosso serviço ao nosso gurudeva. Isto é a plataforma sobre a qual todos os outros relacionamentos e experiência se desenvolverão. Se pudermos chorar por gurudeva, seremos capazes de chorar por Śrīmatī Rādhikā; e se não pudermos chorar por ele, seremos incapazes de chorar por Ela. O que quer que tenhamos aprendido, aprendemos com nosso gurudeva e devemos chorar por ele do fundo de nossos corações.

Como se lamentar
Como devemos chorar? Śrī Caitanya Mahāprabhu deu instruções no sexto verso do Śrī Śikṣāṣṭakam:
nayanaṁ galad-aśru-dhārayā
vadanaṁ gadgada-ruddhayā girā
pulakair nicitaṁ vapuḥ kadā
tava nāma-grahaṇe bhaviṣyati

Ó Senhor, quando lágrimas fluirão de meus olhos, minha voz ficará embargada e meus pelos ficarão arrepiados ao cantar Seus santos nomes?

“Quando sentirei tanta lamentação que chorarei ao cantar os nomes Hare Kṛṣṇa, Rādhā-Govinda ou Vṛndāvaneśvarī?” Chorar desta maneira é o nosso dharma, a essência de nossos princípios religiosos. Um dia, pela misericórdia daqueles que verdadeirametne sentem este humor de separação e pela graça de nosso gurudeva e de nosso guru-paramparā, realizaremos este fato. Esta é a nossa prece verdadeira e, ao orar assim, nosso sentimento deve ser “tava nāma-grahaṇe bhaviṣyati – quando chorarei ao cantar harināma, lembrar ou ouvir Seus passatempos?” Aqueles que são os mais afortunados podem se lamentar e chorar por estes sentimentos e, assim, experimentá-los.

Ao proferir suavemente harināma, cantar harināma, orar a harināma, ou simplesmente ao se lembrar de harināma, devemos experimentar o sentimento de saudade e separação. Se ainda não estivermos fazendo isso, teremos que gradualmente desenvolver este sentimento em nossa prática de sādhana-bhakti. Por ler sobre os passatempos de Śrī Caitanya Mahāprabhu e de Seus associados, os sentimentos deles entrarão em nossos corações e, algum dia, também experimentaremos tais sentimentos. A eralização é o resultado de se lembrar de śrī gurudeva; portanto, devemos sempre nos lembrar dele. Se não compreendermos a misericórdia de gurudeva, não compreenderemos nada.

Nossa meta última
Śrīla Bhaktisiddhānta Sarasvatī Ṭhākura Prabhupāda escreve que o encontro e a separação estão eternametne lado a lado. Somente aquela pessoa que tem alguma realização de vipralambha (separação) pode saborear e servir sambhoga-līlā (o encontro de Rādhā e Kṛṣṇa). Aqueel que não saboreou vipralambha não pode saborear sambhoga-līlā. O objetivo principal ou a meta última de nosso sādhana-bhajana é alcançar a realização dos entimento de separação. Uma vez atingido isso, tudo mais pode ser realizado.

Publicado na Rays of The Harmonist, no. 15, Kārtika 2005
Tradução para o português: Basanti dasi

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s